Em Boa Hora, Darwin!

Cabras fuziladas para evitar o exterminínio 
     de espécies nativas  em  GALÁPAGOS:
  
(Agências de notícias: 20/01/2011)
Entre 2004 e 2009, quase 100 mil cabras foram fuziladas em Galápagos. O número e o método de ação são chocantes, admitem os cientistas, mas o objetivo é evitar que as ilhas, cuja fauna inspirou Charles Darwin (1809-1892) a conceber a sua teoria da evolução, cheguem ao colapso ecológico.

“As cabras são extremamente eficazes em criar uma paisagem similar ao deserto, em razão de sua explosão demográfica e do vigor para se alimentarem. As tartarugas terrestres e outras espécies não eram páreo para elas”, é o que disse Felipe Cruz, um dos diretores da Fundação Charles Darwin, quando o extermínio de cabras já se aproximava do fim no arquipélago.

Deu certo: as cabras, que tinham se tornado selvagens, foram eliminadas em quase todas as ilhas pelos atiradores em solo e em helicópteros. O custo também ficou na casa dos milhões.

Ainda há um bocado de espécies causando problemas nas ilhas. Entre os mamíferos, porcos e gatos, por exemplo. Além disso, há 748 espécies de plantas introduzidas, inclusive amora e goiaba, em comparação a 500 espécies de plantas nativas.

Ao menos 490 espécies de insetos também foram introduzidas, como vespas e formigas. Esses animais ou plantas encontraram um ambiente com poucos predadores, onde puderam expandir a sua população até começar a ofuscar as espécies nativas.

Segundo Toni Darton, diretor do Galapagos Conservation Trust, quando Darwin esteve no arquipélago, em 1835, o número de animais como tartarugas e pinguins deveria ser muito maior.

De 14 espécies da tartaruga que existiam na época, restaram 11, e uma delas tem apenas um indivíduo, o “George solitário”. Os cientistas estão tentando trazer companheiras para ele. Em 2008, ele chegou a namorar duas fêmeas (ao mesmo tempo), mas não deixou filhos.

About superneandertal

Irmão mais velho do neandertal, mais novo do homo-sensibilis.
This entry was posted in Uncategorized and tagged , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s