O SER HUMANO REVISITADO

                                            Célula humana

Os seres humanos adotam uma postura ereta, além de possuírem um cérebro bem desenvolvido (a ponto de ter criado o abridor de latas e o peso de papel), o que lhes proporciona capacidades diversas, tais como o raciocínio abstrato (que favorece a imaginação de fantasias sexuais), a linguagem (a permitir a criação da poesia e a troca de insultos) e a introspecção (que permite ao homem uma desculpa para tornar-se filósofo).
O homem apresenta locomoção bípede completa, com exceção dos coxos, dos mancos e dos que sofrem de unha encravada. Este fato proporciona a utilização dos membros anteriores para a manipulação de objetos (e. g., controles remotos e bolas de boliche) por meio da oponibilidade dos polegares. Os humanos variam substancialmente em relação ao peso e estatura, conforme a localização, a idade e os aspectos histórico-sociais. Apesar de o peso ser amplamente determinado pelos genes, é, também, influenciado em demasia pelos hábitos alimentares, exercício físicos e estado civil.

Comparando-se com a pele de outros primatas, a pele humana possui menor pelagem. A cor dos pêlos e da pele é determinada pela presença de pigmentos. Nos humanos atuais, tal coloração pode variar desde o rosa pálido até o castanho escuro — o que permite uma série de considerações arrogantes sobre supremacia de raça e outros conceitos petulantes. Devido aos humanos serem bípedes, a coluna vertebral e a região pélvica tendem a sofrer desgaste, criando, pois, dificuldades locomotoras em indivíduos mais idosos e em quem imita o Elvis Presley.
A necessidade individual de uma administração regular de comida e bebida é proeminentemente refletida na cultura humana. A falha na obtenção de comida leva ao estado de fome e, eventualmente, ao de inanição. (sofrem com isso os assaltantes de geladeira e afins.) Por sua vez, a falha na obtenção de bebida leva à desidratação e ao estado de sede, proeminente em desafortunados perdidos no meio de um deserto e alcoólatras. Tanto a inanição como a desidratação podem levar à morte se não forem combatidas: o ser humano pode sobreviver cerca de dois meses sem comida, mas somente cerca de três dias sem bebida (ou duas horas, para o caso dos bêbados).

About superneandertal

Irmão mais velho do neandertal, mais novo do homo-sensibilis.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s